A filosofia do anarquismo

por Edgar Rodrigues

Edgar Rodrigues

Edgar Rodrigues

O anarquismo firma-se no apoio mútuo e na solidariedade humana. É uma doutrina profundamente humanitarista. Seus militantes integram-se ideologicamente formando organismos humano-sociais, valores universais dentro dos Grupos, das federações e na sociedade.

O anarquismo embasa uma Nova Ordem Social de liberdade plena, na qual as riquezas naturais, e as resultantes do trabalho manual, intelectual e mecânico ou eletrônico, isto é, a produção, o consumo e a educação, devem satisfazer às necessidades de todos e de cada um, independente das idades, sexos, raças e/ou cores. Anarquismo não é descriminatório, nacionalista, intelectual, operário, masculino, feminimo, é uma ideologia do Ser Humano!!!

A anarquismo propõe a substituição da organização regulamentada por cercas jurídicas, obrigatoriamente padronizada e robotizada, pela organização voluntária, embasada no livre acordo, espontaneamente firmado por afinidades, eternamente dissolúvel, desde que os interesses e reciprocidades deixem de existir.

Tornou-se hábito estabelecer consensos, regras, leis condicionadoras, em dimensões tais que alienam o homem para que este aceite resignadamente a desigualdade e a exploração. O anarquismo opõem-se a estes costumes, não aceita que o homem precise ser governado e/ou explorado, e repele o conceito condicionador de que o contrário, além de utópico, é irrealizável, uma calamidade pública de proporções incalculáveis.

Não é verdade que o indivíduo precise sofrer a autoridade dos governantes e dos seus auxiliares para ser cumpridor de seus deveres, saber conviver com a liberdade que por obra e graça de sofismas políticos “termina sempre onde começa a do semelhante”, como se todos os seres humanos tivessem necessidades que pudessem ser medidas ou pesadas.

O anarquismo – doutrina dos anarquistas – rechaça a “convicção” de que o homem deva deixar-se deformar abdicando daquilo que possui de mais importante: a inteligência, a razão, a vontade de ser livre! O anarquista vê a ciência, o saber e a liberdade como patrimônios públicos, de todos, tão necessários quanto a luz e o ar que respiramos.

Por isso os anarquistas advogam que o acesso de todos a esse valioso Bem Comum se transforme em princípio Novo dentro da Nova Educação!

O anarquismo é a filosofia da Humanidade. Todos nós – querendo ou não – somos um pouco anarquistas. Os seres humanos se completam no anarquismo e atingem a expressão máxima de seu desenvolvimento.

O anarquismo não se fecha, não está enquadrado em nenhum esquema preestabelecido a servir de roteiro para a conduta humana. É a própria Vida! Vai até onde o sentido da liberdade o possa conduzir. A essência da Anarquia é a liberdade plena e a responsabilidade.


escrito por Edgar Rodrigues (capítulo 3 do seu livro “Anarquismo à Moda Antiga, editora Achiamé).

Originalmente publicado em: Canibuk
 

admin

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *